03 março 2009

03 Março 2009

Sob novo endereço

Depois que um hacker ferrou o site do Mosquito ele agora está atendendo no seguinte endereço: http://tijoladasdomosquito.blogspot.com/

Continua com a mesma verve e não dá folga pros bandidos.

Tijolada no Mosquito

Partiram para cima do Mosquito com tudo. Segundo o blogueiro, invadiram a sua página, deletaram conteúdos e ainda por cima divulgaram textos com acusações infundadas contra ele. Bem, como o Muska não é de ficar quieto, já partiu para a investigação, foi à polícia e está "tomando as providências judiciais cabíveis".
É isso aí Mosquito, contra hacker outro hacker. Isso que estão fazendo contigo não é nenhuma novidade no mundo da blogsfera. Sao os teus desafetos se defendendo e tentando te anular. Existem várias formas de fazer isso e parece que estás com o repertório todo. Intimadação pessoal, ameças anônimas, medidas judiciais etc. Queres o quê? Que os bandidos fiquem quietos apenas levando as tuas tijoladas sem fazer nada? Difícil para Aquários! (resquícios do tempo que fazia horóscopo no DC).
Mas podes contar com a solidariedade do amigo aqui e vai atrás dos vagabundos e mete o cacete neles. Sem dúvida que estas mexendo com interesses poderosos. A quadrilha do poder também se moderniza. Isso é apenas mais uma batalha. Boa sorte e pau na cara!

02 Março 2009

Se a gente não rouba ninguém rouba!

Deu na FSP:

PMDB propõe CPI para investigar fundos de pensão

Sem conseguir substituir parte da direção do fundo de pensão de Furnas, Real Grandeza, o PMDB agora diz que irá recolher assinaturas para criar uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) que investigue todos os fundos. O PT é contra e criticou a proposta.

A ofensiva acontece um dia depois de o ministro Edison Lobão (Minas e Energia) recuar oficialmente da tentativa de substituir a direção da Real Grandeza, fundo de pensão dos empregados da estatal elétrica Furnas.

Apontado como o principal articulador da tentativa de mudança dos diretores, o deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) disse que a ideia da CPI é "verificar a saúde, as indicações políticas e ao mesmo tempo propor uma legislação" para o setor. "Os fundos não têm fiscalização do TCU (Tribunal de Contas da União), são tratados como empresas privadas, dinheiro público é colocado e não é fiscalizado.

01 Março 2009

GILMAR CLAMANTIS IN DESERTO

Por Janer Cristaldo

Não bastasse o comissário do povo Tarso Genro e demais ministros terem se manifestado veladamente contra a afirmação do ministro Gilmar Mendes, de que é crime financiar o crime, Clóvis Rossi, o decano dos cronistas da Folha de São Paulo, parece ter tido hoje uma recidiva de seu passado de esquerda. Lembra aquele bracinho do Dr. Strangelove, no filme de Kubrick, que insiste em se erguer em uma saudação ao Führer:

“Por fim, uma dúvida: matar alguém, como em Pernambuco, é crime, claro. Mas invadir terras é também crime ou é a única maneira que um movimento social voltado para a reforma agrária tem para chamar a atenção para a sua agenda?”

O que o cronista está afirmando é que crime deixa de ser crime quando serve para chamar a atenção sobre um problema social. Fica como sugestão ao PCC. Se quiser chamar a atenção sobre a violência nas favelas, basta matar alguns cidadãos e estas mortes estão justificadas. Afinal, serviram para alertar sobre um problema social. Leia artigo completo. Beba na fonte.

28 Fevereiro 2009

O FILHINHO DA MAMÃE

Por Olsen Jr.

Qualquer pessoa, mas não uma pessoa qualquer, pode aquilatar (essa palavra é de doer) por interesse menor que tenha sobre o assunto, que a família exerce o principal papel na educação dos filhos. Quer dizer, uma educação é um somatório do que se vê e ouve em casa, da constatação dos atos, mais o aprendizado burocrático da escola (dos currículos executados à meia boca, o que é visto, ouvido e constatado) e finalmente a ditadura que vinga nas ruas (o visto, o depreendido e o sentido na carne), por aí se tem um bom começo.

Pular qualquer um dos três referentes seria pintar uma caricatura de um retrato já feio.

Por que estou dizendo tudo isso? Calma leitor(a). Tudo no seu tempo. Não gosto de assumir ares de “professor” quando o próprio dia-a-dia mostra que, às vezes, muitas vezes, acrescente-se é o instinto que culmina determinando nossas ações.

Veja só, mais um preambulozinho para mostrar a dialética (alô “doutores” não estou falando no sentido marxista do termo) desse mundo. Ali, ao lado da Fiesc, tem um posto de gasolina com um lava-carro anexo, você paga R$6,00 por um serviço que os outros cobram R$10,00. Com a diferença se compra um refrigerante de dois litros e se doa para a piazada do batente. Assim, acaba-se gastando menos e ainda tendo o reconhecimento que faz com que as relações humanas fiquem melhores. Daí, enquanto se espera, o bar do Luciano ao lado, serve aquele pastelzinho caseiro, sequinho, com carne moída, tempero verde e se você tiver sorte, alguns pedaços de ovos cozidos com azeitona, mas aí já é loteria, não se pode ter tudo.

Estou naquela expectativa quando o próprio Luciano passa por mim, depois dos cumprimentos de praxe, o ouvi exclamar qualquer coisa como “...Trabalho escravo” e se afastar indignado. Já estava comendo o segundo pastel quando ele para no outro lado do balcão, chateado e pude ouvir bem “era só o que me faltava essa de trabalho escravo!”.

--- Conta logo – brinco – percebendo que pretendia desabafar.

--- Pô! Começa ele – o meu guri, que você conhece bem, às vezes fica comigo, e em alguns momentos até ajuda eu e o meu irmão, não é um trabalho oficial, apenas uma ajuda espontânea com as coisas aqui. --- Agora a mãe dele chegou, está indignada e afirmou que estou escravizando o piá, que é trabalho infantil, que tem leis no País”...

Começo a rir e ele me encara com seriedade. Antes que diga alguma coisa, sugiro um pouco de calma, e claro, insinuo que mãe é mãe é aquela “cutucada” era apenas para mostrar os laços afetivos que ainda eram compartilhados entre eles.

Foi à vez de ele rir.

--- Pode parar! – Afirma peremptoriamente.

Na hora não pude deixar de pensar em Somerset Maugham “Na vida de um garoto, poucas infelicidades podem provocar consequencias mais desastrosas do que ele ter uma mãe afetuosa”. Também, o Ziraldo, em uma de suas recaídas “A mãe é o pior inimigo do homem”.

Bem, aquele bate-papo parecia ter “aliviado” um pouco o sentimento de culpa do Luciano. Quer dizer, eu pensava assim e só percebi que estava enganado quando o funcionário do posto trouxe a chave do carro e depois que ele saiu com o refrigerante de dois litros, cumprindo um ritual que institucionalizei, e fui me despedir dele. Ele apertou a minha mão, me olhou nos olhos como se tivesse algo para dizer, percebendo aquela angústia, conclamo: “diga!”.

--- Olha aqui, oh! --- Deixa-me dizer uma coisa: “trabalho escravo é a puta que os pariu!”.

Rimos bastante enquanto ele saiu atrás do filho para que assumisse o caixa enquanto ele iria levar as marmitas para os operários de uma construção ali no bairro.

Não se pode dizer que ele não tivesse personalidade forte ou suas próprias convicções sobre o tal “serviço escravo”, o que não era o caso, como se pode ver!

27 Fevereiro 2009

Intelectuais lançam manifesto contra a 'ditabranda' da Folha de S. Paulo

Em resposta ao editorial da Folha, publicado no último dia 17/02, em que classificou o regime militar vigente no Brasil entre 1965 e 1984 como uma “ditabranda”, um grupo de intelectuais lançou, no último sábado (21/02), um manifesto e abaixo-assinado em “repúdio à arbitrária e inverídica revisão histórica”.

“Ao denominar ‘ditabranda’ (...) a direção editorial do jornal insulta e avilta a memória dos muitos brasileiros e brasileiras que lutaram pela redemocratização do país. (...) O estelionato semântico manifesto pelo neologismo ditabranda é, a rigor, uma fraudulenta revisão histórica forjada por uma minoria que se beneficiou da suspensão das liberdades e direitos democráticos no pós-1964”, diz o manifesto. Matéria completa no Comunique-se. Beba na fonte.

26 Fevereiro 2009

Luiz Henrique (do PMDB corrupto) enche as burras da RBS e da Ric Record

Sem consultar educadores e livre de licitação, governo engorda conta de grupos de comunicação
Na foto Nelsinho Sirotsky e Luiz Henrique rindo de...você contribuinte

A preocupação em engordar o faturamento de poderosos grupos de comunicação tem se tornado uma verdadeira obsessão por parte do governador Luiz Henrique da Silveira (PMDB). Enquanto reclama publicamente que o Estado perdeu desde novembro mais de R$ 200 milhões com os reflexos da crise mundial e com as enchentes que assolaram Santa Catarina, fechado em seu confortável gabinete, uma de suas primeiras ações em 2009 foi garantir um ano sem crise para dois grandes grupos de comunicação do Estado. A título de fornecimento de jornais e revistas para escolas da rede estadual, o governo repassará por mais um ano R$ 5,1 milhões dos cofres públicos aos grupos RIC e RBS. Leia matéria completa. Beba na fonte.

Neném da Costeira promete detonar policiais

O traficante Sérgio de Souza, o Neném da Costeira, afirmou em depoimento na tarde desta quinta-feira, no Fórum da Capital, que não fugiu da carceragem da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic) em Florianópolis em 24 de novembro de 2002, e sim que foi solto por policiais civis e militares que estariam envolvidos em um esquema de extorsão e comércio de armas.
Neném disse que foi liberado porque apresentaria um dossiê que aponta a participação desses policiais nos crimes. Beba na fonte.

22 Fevereiro 2009

Surfoco

Foto de Sandro Bravo na praia do Guincho em Portugal
O surfista Ramiro Rubim foi o vencedor da categoria Open do vigésimo Surfoco. O tradicional campeonato acontece todo ano na praia do Campeche em frente ao Bar do Seo Chico. Ramiro é patrocinado pela Of The Curl (prancha) e da Ballangh (roupa).

Onodi mata a pau

Foto Marili Benthien
O tradicional bloco carnavalesco do Campeche, Onodi, reúne, neste momento, mais de 3 mil foliões. É uma festa fantástica. Agora, concentrados em frente a igrejinha de São Sebastião dançam todos ao ritmo de antigas marchinha de carnaval. O cangablog acompanha o evento de casa, ao lado, com notícias e fotos trazidas pelos filhosblog.

O sucesso do Pauta que Pariu


A Kibelândia vestida de festa recebeu os foliões do jornalismo e alhures. A grande concentração organizada pelo Sindicato dos Jornalistas de Santa Catarina foi um sucesso. Durante todo o dia e entrando noite a dentro, jornalistas. amigos, familhiares e afins se divertiram a valer. Realizado pela primeira vez na Kibelândia, a festa do Pauta quePariu deu início às festividades dos 40 anos do bar mais tradicional do centro da cidade. A concentração momesca promete entrar para o calendário do omo em Floripa.

21 Fevereiro 2009

OS NOVOS BEATNIKS

Ou um elogio à liberdade

Por Olsen Jr.

Nos finais e começos de ano, é sempre assim, há um mecanismo inconsciente que faz com que abramos a guarda. De repente ficamos dóceis, ternos, receptivos. É uma constatação que faço e isso nada tem a ver com o cristianismo, apenas com a época, uma vibração diferente. A observação é uma das ferramentas de um escritor, já a sensibilidade para captar a nuance do que é observado pode ser atributo de um poeta. Se você conseguir reunir os dois quesitos em uma pessoa só, melhor. Mas isso ocorre o ano inteiro, então por que lembrar isso apenas agora?

Well, penso que ao afrouxar um pouco o ceticismo contemplativo com que a maioria das pessoas leva a vida, a realidade não parece ser tão soturna como imaginamos quando estamos mais pessimistas que o habitual. Percebi isso agora, vendo aquele grupo. Na verdade acompanho todos eles individualmente andando por aí, a esmo, sem destino e nem objetivos determinados.

Um grupo de pessoas, seis ao todo, lembra aquele livro “Cannery Row”, do John Steinbeck, escrito em 1945 e que integra uma saga do escritor norte-americano que já tinha publicado “Tortilla Flat”, em 1935 e prosseguiu com “Sweet Thursday”, em 1954.

Sim, foi um vislumbre da obra de Steinbeck, dadas as semelhanças, porque aqui na Lagoa da Conceição como lá em Monterey (na Califórnia) estes meio-habitats se parecem. Alguns indivíduos que estão unidos por laços comuns, quer dizer, nenhum deles tem um trabalho fixo, aliás, são os novos beatniks, agora os do século vinte e um. Todos têm certa habilidade em alguma área, seja carpintaria, artesanato, alvenaria e outras ocupações que exijam o emprego das mãos. Só o fazem, entretanto, quando não há mais alternativas para conseguirem o mínimo necessário para levar a vida numa boa.

Na última sexta-feira encontrei-os em um terreno gramado à beira da Lagoa. Na calçada mostravam o trabalho em jóias de arame, prata, bijuterias transformadas em brincos, braceletes, pingentes, camafeus, cordões, prendedores de cabelos, uma variedade de ornamentos capazes de satisfazer qualquer vaidade feminina menos sofisticada, mas de bom gosto para a simplicidade combinando sempre com o velho jeans de guerra. Também, o chimarrão passando de mão em mão enquanto alguém cuidava do fogo, sim, porque havia carne sendo assada, tudo isso ao lado de uma banca de revistas, embaixo de algumas árvores numa manhã de sol claro depois de toda a tragédia que se abateu sobre alguns lugares em Santa Catarina.

Aspirei aquele odor de carne assada, me deu saudades de ver a família reunida, e aquele dolce far niente a que eventualmente dávamos ao luxo de nos entregar. O momento vivido era único. O futuro é um espaço que não existe. Caminho devagar quando passo por eles, também por momentos queria ter a sensação de viver aquela heresia, de não pensar no “depois”... A despreocupação está nos rostos, pelo menos naquela hora.

Que País infernal é esse Brasil, penso.

Registro esse encantamento com a espontaneidade para celebrar a livre escolha, para eternizar a ação de se fazer o que se pode mesmo em uma situação que, muitas vezes, não deveria nem possibilitar esse “poder”: uma escolha apenas, mas vocês que estão chegando agora, que não precisaram viver o que nos foi imposto “como natural” durante o regime militar, leitores, não imaginam o que é viver essa liberdade, o que é desfrutá-la assim, como companheira de viagem, porque se não vamos chegar a lugar nenhum, então ela deve vir junto, afinal, de tudo o que nos podem “tirar” na vida: o vínculo com os nossos pais, o amor que se dizia eterno ou o que conseguimos com o nosso esforço, do homem revoltado às paixões inúteis, é a liberdade o único bem que não suportamos perder na vida... É por isso que todas as ditaduras caem, não importa por quanto tempo dissimulem ficar em pé!

19 Fevereiro 2009

Não fique sem assunto

Editora Insular lança campanha de incentivo à leitura

Excelente a nova campanha publicitária desenvolvida pela DBS Multicriação para a Editora Insular. Uma das mais respeitadas editoras do mercado editorial de Santa Catarina, a Insular quer mostrar que a leitura é algo essencial no convívio das pessoas.
A campanha, que apresenta pessoas sem bocas, tem o objetivo de mostrar que a leitura é algo imprescindível para as pessoas adquirirem conhecimento e tornarem-se mais atraentes com um bom papo. “Essa idéia exigia um grande grau de responsabilidade em cima da produção. Era ela quem iria dar vida às peças. E o trabalho de manipulação ficou fantástico. Deu a realidade que as peças precisavam”. Comenta Renato Bittencourt, diretor de arte responsável pelo trabalho. A campanha é composta por banner, cartaz, anúncio e internet.

18 Fevereiro 2009

O novo padroeiro




Já estão disponíveis no balcão do Cangablog as medalhinhas com a imagem do novo santo padroeiro do PMDB. São Dimas que, após manifestação do senador Jarbas Vasconcelos, assume o lugar de santo protetor desse pessoal da agremiação.
Foto meramente ilustrativa de como deve ser usado o "mimo". Ou pendurado no pescoço com uma correntinha - sempre de ouro - como pin na lapela ou no nó da gravata. Sempre em um lugar bem visível.

Brasileira que se disse agredida é indiciada na Suíça

JB Online

ZURIQUE - A Procuradoria de Zurique anunciou que vai abrir uma investigação penal contra a brasileira Paula Oliveira, que disse ter sido agredida por três neonazistas. O Ministério Público entende que Paula inventou as agressões. A brasileira saiu ontem à noite do Hospital Universitário de Zurique, onde se recuperava dos ferimentos em todo o corpo. A polícia suíça suspeita que a brasileira teria feito os cortes no corpo e também que não estava grávida de gêmeos na hora do incidente. Um tribunal distrital de Zurique designou um advogado público para defender Paula Oliveira. Ela não poderá deixar o país enquanto durar a investigação. Seu passaporte e seus demais documentos foram bloqueados.

John Lennon, Keith Richards, Eric Clapton and Mitch Mitchel

O paraiso que a Casan quer "melar"


"O repórter-fotográfico J. L. Cibils iniciou um ensaio fotográfico do rio Veríssimo e manguezal do Ratones, integrantes da Estação Ecológica de Carijós. As fotos já alimentam o Banco de Imagens da Folha Press (Folha de São Paulo). Ele cedeu algumas do rio Veríssimo ao Sambaqui na rede. Confira no final a ata da última reunião da Associação de Bairro de Sambaqui (ABS), realizada no último dia 11.2". Veja matéria completa no blog Sambaqui na rede. Beba na fonte.

Justiça Eleitoral volta de férias

De veras interessante a coluna de Lucia Hipolito sobre a cassação do primeiro governador corrupto do país. Luiz Henrique está na fila. Pertence ao partido dos corruptos (PMDB).

A fila recomeçou a andar

Lucia Hipolito

Com a cassação do governador tucano Cassio Cunha Lima (PB), aprovada por unanimidade ontem à noite pelo TSE, a Justiça Eleitoral retoma os julgamentos dos governadores que estão com o mandato pendurado no tribunal. Já não era sem tempo. O próximo da fila é o pedetista Jackon Lago, do Maranhão. Acusado de se beneficiar da distribuição de cestas básicas e kits salva-vidas pelo então governador José Reinaldo Tavares. Seus apoiadores alegam que cassar Jackson Lago é condenar o Maranhão ao atraso. Isso porque a segunda colocada é Roseana Sarney. Faz sentido, mas não se pode manter Jackson Lago no cargo, se o governador for considerado culpado por utilizar os mesmos métodos da família Sarney. Em seguida vem o peemedebista Luiz Henrique da Silveira, de Santa Catarina, acusado de uso indevido dos meios de comunicação, propaganda eleitoral antecipada, abuso de poder político e abuso de poder econômico. Com a tragédia que abateu o estado no final do ano passado, o governador considerou que tinha despertado a comiseração do país todo – e consequentemente a boa vontade da Justiça Eleitoral. Mas será julgado e, se condenado, será inapelavelmente cassado. Matéria completa aqui. Beba na fonte.

17 Fevereiro 2009

TSE cassa mandato de governador da Paraíba

Cássio Cunha Lima (PSDB), governador da Paraíba, e José Lacerda Neto (DEM), o vice, devem deixar o governo do estado. O recurso que corria no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para manter os dois no cargo foi negado há pouco pelos ministros do tribunal por unanimidade. Os advogados de defesa pediam, entre outras coisas, que o processo retornasse ao Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB)e que Lacerda Neto tivesse direito de defesa. Cunha Lima foi julgado por abuso de poder político e conduta vedada durante campanha eleitoral em 2006. Ele teria distribuído 35 mil cheques nominais a eleitores por meio de programa assistencial mantido pela Fundação de Ação Comunitária. Leia matéria completa no blog do Noblat. Beba na fonte.

Vale a pena ver de novo

Em breve, reprise no plenário do Senado

Foto publicada agora no blog doRicardo Noblat. Não entendi o sentido. Essa foto da senadora Ideli se beijando com o senador Sarney havia sido publicada no Tijoladas do Mosquito e roda na internet há tempos. Mas que é bonito de ver as "afinidades" que rolam no Congresso Nacional, isso é!

Barbas de molho

Cássio Cunha Lima, governador da Paraíba, e o vice, José Lacerda Neto (DEM), estão sendo julgados neste momento no TSE. Como o governador Luiz Henrique, eles também são acusados de abuso de poder econômico e político durante a campanha de 2006. Se sairem ilesos do julgamento de hoje, ainda ainda correm o risco de perder os mandatos quando a acusação de propaganda eleitoral for levada a plenário.

Tá lá no blog do Claudio Humberto

TSE retoma julgamento de Cunha Lima

Orlando Brito
Foto
Ele pode perder seu mandato hoje
O Tribunal Superior Eleitoral retoma hoje (17) o julgamento de recursos sobre a cassação dos mandatos do governador da Paraíba, Cássio Cunha Lima (PSDB), e de seu vice, José Lacerda Neto (DEM). No dia 20 de novembro, a Corte votou pela retirada do mandato dos políticos, mas um pedido de vista do ministro Arnaldo Versiani interrompeu a sessão do TSE, que poderia selar de vez o futuro de Cunha Lima. Ele e Lacerda Neto são acusados por abuso de poder econômico e político, além de prática de conduta vedada à agente público, durante as eleições de 2006. Caso o tribunal confirme a decisão que cassou os dois, a liminar que os mantém no cargo será derrubada. E, assim, depois da publicação do acórdão, ambos terão que deixar os cargos.

Pinho Trirradial Moreira quer retratação

Pois parece que o presidente estadual do PMDB catarinense, Eduardo Pinho Moreira, vai pedir retratação ao senador Jarbas Vasconcelos pelas declarações a revista Veja. Acho que Pinho Moreira está mexendo em coisa que pode feder. Afinal ele faz parte da "turma" denunciada por Dejandir Dalpasquale que tomou conta do partido. Segundo Dejandir a "corrupção, no meio político, cada vez é pior. Disse no começo e repito aqui: quem faz a corrupção é o Executivo, que é quem tem a caneta e a mala na mão. E ele é que faz os negócios todos".

Pinho Moreira já colocou o bloco na rua como candidato da agremiação maldita. Envolvido em negociatas suspeitas no governo Paulo Afonso, o agora candidato de LHS ao governo tem muita coisa para explicar. Já montou vários grupos de trabalho e um em especial para cuidar da imprensa. Funcionário aposentado da Celesc anda procurando blogueiros e colunistas com promessas pecuniárias para que fiquem neutros em relação a Pinho Trirradial Moreira.

O Dejandir de Pernambuco

A denúncia do senador pernambucano Jarbas Vasconcelos de que a maior parte do PMDB é corrupta não é novidade para ninguém neste país e principalmente para nós em SC. O desabafo do senador seguiu a mesmo caminho do ex-deputado histórico do PMDB catarinense Dejandir Dalpasquale. No ano passado, Dalpasquale desiludido com a quadrilha que tomou conta do partido não mediu palavras e disse quem a comandava em SC. Em rede estadual de TV, no programa Coversas cruzadas, da TV Com do grupo RBS, Dejandir não deixou pedra sobre pedra.

“A corrupção, no meio político, cada vez é pior. Disse no começo e repito aqui: quem faz a corrupção é o Executivo, que é quem tem a caneta e a mala na mão. E ele é que faz os negócios todos. Como eu falei há pouco: qualquer tipo de acordo que é uma... levando uma vantagem, é uma negociata, é uma corrupção. Citei aqui o caso do Colombo, né, porque, de fato, o Luiz Henrique metia o pau no Jorge Bornhausen, porque era oligarquia e o Colombo metia o pau na descentralização. Que eu concordo. Acho que não descentralizaram a administração, descentralizaram o cabide de emprego. Isso é que foi descentralizado aqui em Santa Catarina. E taí, cada secretaria era negociada com um partido ou com outro. Então, isso pra mim é corrupção. Eu acho que você começa dando exemplo, você que tem um mandato na mão, que tem o poder na mão. Então se nós não mudarmos a cultura brasileira, nós vamos ter muito problema pela frente.”

Com tudo isso dito, nem Luiz Henrique nem ninguém do partido ameaçou processar Dejandir. Por que Será?

Pauta que Pariu

As camisetas do bloco dos jornalistas, o Pauta que Pariu, já estão à venda no Sindicato dos Jornalistas (telefone 3228-2500) ou na Kibelândia (Rua Vitor Meireles), local de concentração e saída dos foliões no sábado de carnaval.
A camisa custa R$ 20,00 e dá direito a carreteiro e a uma cota de latas de cerveja. A concentração começa às 11h30min.
Na terça-feira, haverá um "esquenta do bloco" na Kibe, a partir das 19 horas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Desove sua opinião aqui

Postar um comentário